8 dicas para não cair em golpes de phishing com o coronavírus

coronavírus phishing

Aproveitando o estado de alerta global sobre a doença, criminosos estão espalhando e-mails com falsos alertas.

Em épocas de crise – e de calmaria também – os golpistas ficam atiçados, afinal, eles têm razões suficientes para entrar em contato contigo.

O recente surto do coronavírus está servindo de isca para aplicar golpes de phishing e disseminar malware. Muitas pessoas estão apreensivas em relação ao problema, ou têm amigos e familiares nas principais áreas de infecção, ou simplesmente quer aprender mais sobre como prevenir a propagação da doença, por isso, acabam abrindo e-mails. As empresas de segurança estão emitindo alertas sobre esses golpes, que já fez muitas vítimas nos EUA, Reino Unido e Japão.

O que fazer para não ser mais uma vítima?

1) Nunca se sinta na obrigação de clicar em um link ao receber um e-mail, sobretudo se você não pediu conselhos. Caso esteja realmente procurando aconselhamento sobre o coronavírus, faça sua própria pesquisa e escolha os sites que devem ser acessados.

2) Não se deixe enganar pelo nome do remetente. Para os menos experientes, é importante lembrar que o remetente pode colocar qualquer nome no campo De:.

3) Procure erros ortográficos e gramaticais. Nem todos os bandidos cometem erros, mas as grande maioria comete. A má escrita é boa pista para identificar mensagens fraudulentas.

4) Passe o mouse sobre o link antes de clicar. Se o site para o qual você será enviado não parecer correto ou estranho, não clique.

5) Nunca insira dados que um site não deveria estar solicitando. Você acha mesmo que há algum motivo para uma página da web de conscientização da saúde solicitar seu endereço de e-mail ou a sua senha?

6) Caso você desconfie que tenha acabado de entregar sua senha a golpistas, altere-a imediatamente. Os bandidos que administram sites de phishing geralmente testam as senhas recebidas de forma imediata (esse processo geralmente pode ser feito automaticamente); portanto, quanto mais cedo você reagir, menos exposto a ameaças você estará.

7) Nunca use a mesma senha em mais de um site. Depois que os golpistas têm uma senha, eles geralmente tentam inseri-la em todos os sites em que você pode ter uma conta.

8) Ative a autenticação de dois fatores (2FA), se puder. Esses códigos de seis dígitos que você recebe no seu telefone ou é gerado por meio de um aplicativo pode ser inconveniente, mas funcionam como uma camada de segurança contra os criminosos.

Você também pode contar com uma ferramenta antiphishing, a qual automatizará esses processos, identificando possíveis ameaças vindas de e-mails e sites maliciosos.

Para as empresas, é importante investir no treinamento de funcionários sobre possíveis ataques, atualizar as políticas de segurança, além de adotar tecnologias que ajudam a protegê-las.

Compartilhar este artigo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Posts Relacionados

Rolar para cima
Posso te ajudar?
AllEscort