5 dicas para reduzir o estresses com a segurança digital

Você se sente estressado com os problemas relacionados à segurança digital?

As pessoas estão ficando cada vez mais estressadas devido à pressão de gerenciar enormes quantidades de informações numa era de insegurança, revela estudo da Kaspersky Lab.

Entre os entrevistados, 69% admitiram sentir estresse quando ficam sabendo sobre novos vazamentos de dados. Com a quantidade de notícias divulgadas, quase que semanalmente pela mídia, o efeito tende a ser pior.

A Kaspersky conversou com alguns psicólogos sobre o estresse e por que o cibercrime pode influenciá-lo. Para Frank Schwab, psicólogo de mídia da Universidade Julius-Maximilians de Würzburgo “O estresse provocado por preocupações com eventos externos, como vazamentos de dados, coisas sobre as quais você não entende bem e sobre a melhor maneira de proteger seus dispositivos, pode resultar em problemas de saúde significativos. Não há como evitar um certo nível de preocupação, mas assumir o controle é fundamental, e isso pode ser feito facilmente nesse caso”.

Para ele, grande parte do estresse estaria relacionado ao sentimento de falta de controle que a inabilidade de proteger suas vidas online causa nas pessoas.

Talvez haja algum fundamento fático nessa visão, tendo em vista que quase 60% dos entrevistados mostraram maior nível de preocupação diante da possibilidade de se tornarem vítimas de um ciberataque em suas casas, se compararmos com a mesma ocorrência no trabalho (48%). Aparentemente, essa diferença se justifica pelo nível de confiança mais elevado depositado em outros colaboradores mais capacitados  para mantê-los seguros contra ciberataques (68%).

De certa forma, essa postura indica que as pessoas acreditam que não precisam ser tão cuidadosas com suas contas e dispositivos de trabalho. Na verdade, há uma grande probabilidade de que cibercriminosos mirem nos elos fracos de uma empresa (as pessoas). Sendo assim, é necessário aplicar as mesmas medidas de segurança em casa e no trabalho, sempre buscando identificar e-mails suspeitos, utilizar um gerenciador de senhas para manter combinações únicas e fortes, além de visitar apenas sites confiáveis.

Uma das descobertas mais interessantes do estudo foi aquele que mostrou que as pessoas se mostraram relutantes em fornecer a um gerenciador de senhas os logins dos seus dispositivos (8%), das suas contas (6%) e detalhes de cartões de crédito (3%), mas não tinham qualquer problema em dividir essas informações com seu parceiro (53%, 47% e 47%, respectivamente).

Ainda que a melhor prática sugira que é preferível confiar esses detalhes apenas ao seu gerenciador de senhas, a pesquisa apontou para uma nítida falta de confiança em organizações e empresas de tecnologia que coletam e armazenam dados.

O governo apareceu como o setor menos confiável, com 17%. Cerca de 15% dos participantes não confiam em nenhum setor. Setores industriais, de saúde e de educação foram citados como os mais confiáveis, apesar de todos terem sofrido violações de dados de grandes proporções nos últimos anos.

Com tantas informações confidenciais no ambiente online, de todos os tipos e armazenadas pelas mais diversas organizações, é esperado que exista um nível de estresse causado pela sensação de falta de controle: 66% dos participantes alegaram sentir estresse com a quantidade de informação sensível que possuem online. Entretanto, assumir o comando da sua própria cibersegurança pode devolver um certo nível de controle e ajudar a reduzir esse mau sentimento, deixando sua cabeça livre para se preocupar com o que realmente importa.

Outros

Essas dicas simples talvez ajudem a reduzir o nível do seu estresse:

  1. Comece por reservar um dia na sua agenda e algumas horas do seu dia para cuidar da segurança da sua vida digital. Valerá a pena, acredite. Comece deletando as contas que não são mais utilizadas, como perfis nas mídias sociais e cadastros em sites de compras antigos;
  2. Se os seus dados vazarem online ou ouvir alguma notícia sobre vazamento de algum serviço por você utilizado, não esqueça de mudar suas senhas.  Um bom gerenciador de senhas, como o Kaspersky Password Manager, facilita grande parte deste trabalho;
  3. Seja muito, mas muito cauteloso com e-mails ou mensagens solicitando que você clique em links ou baixe anexos. E-mails de phishing são uma das principais razões de comprometimento de contas. A regra é clara: se estiver em dúvida, não clique. Resista à tentação. Sempre!
  4. Use uma solução de segurança em todos os seus dispositivos para minimizar os riscos de e-mails e sites perigosos. Por muito pouco é possível adquirir uma proteção essencial como o Kaspersky Anti-Virus;
  5. Faça cópias de segurança dos seus dados em algum serviço na nuvem ou dispositivo, como um HD externo. O ransomware ainda é uma ameaça muito perigosa para os seus dados.

Notícias sobre violações de dados, ciberataques e golpes online impactam milhões de pessoas no mundo inteiro. Os consumidores estão cientes das ameaças à sua segurança.  No entanto, muitos ainda não sabem como proteger seus dispositivos em face dessas ameaças complexas, levando-os a ficarem estressados ​​com a possível exposição de seus dados.

Dentre todos os conselhos, talvez a primeira parte da dica 1 seja a mais importante: Comece por reservar um dia na sua agenda e algumas horas do seu dia para cuidar da segurança da sua vida digital. 

Não temos tempo para nada, nem mesmo para nos organizarmos. Estamos sempre atarefados e cheios de coisas mais importantes para fazer. Organizar-se e estabelecer prioridades (e a sua segurança deve ser uma) são essenciais para superar um estado de coisas caótico. Portanto, siga esse conselho e comece a trabalhar em nome da sua segurança.

Certamente, mais segurança resultará em menos estresse.

Compartilhar este artigo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Posts Relacionados

Rolar para cima
Posso te ajudar?
AllEscort