Os nossos sentidos nos enganam

René Descartes

Este post está meio filosófico.

Ontem eu dormi pensando na quantidade de horas que fico conectado durante o dia.

De manhã, logo que acordo, lá pelas 6:30h, a primeira coisa que faço é me conectar ao app da minha rádio preferida. Enquanto escovo os dentes e me arrumo, ouço as primeiras notícias do dia.

Tomando café, vou até o notebook e deixo os e-mails baixando. Dou uma lida rápida no que é mais importante.

A caminho do trabalho, me distraio lendo alguns posts do Facebook pelo smartphone.

Chegando lá, sigo conectado até o final da tarde: respondo e-mails, acesso websites, webmails, uso o skype, whatsapp, internet banking, o serviço de ftp etc.

Pausa para o esporte, uma caminhada ou para leitura de alguma revista ou livro (offline).

De volta para casa, volto a ligar o notebook, dou uma navegada, acesso a Netflix.

Fazendo uma conta rápida, são mais de 15 horas conectado.

Até ai, tudo bem. Aposto que você também tem uma vida digital bem ativa.

Mas ai eu parei para pensar num ponto e constatei uma diferença:

Quando estou offline estou sempre em alerta: saio de casa, tranco a porta. Dentro do carro, fico atento com possíveis ameaças. Saio do carro, aciono o alarme. Ando pela calçada atento e não me atrevo a sacar o smartphone para não chamar a atenção de bandidos.

Lá na rua, sei como reduzir os riscos de perder dinheiro, o patrimônio e até a minha vida. O botão autopreservação fica sempre ligado.

Por outro lado, quando estou online, às vezes, meu instinto de autopreservação falha. E olha que sei de todos os riscos. Trabalho com isso.

Por quê? O fato é estamos acostumados com a falsa sensação que os ambientes informáticos nos proporcionam.

Isso me fez lembrar do velho Descartes:

“Os nossos sentidos, por vezes, enganam-nos. ora, se os nossos sentidos nos enganam, ainda que apenas por vezes, então o melhor é não acreditarmos neles nunca.”

As sofisticadas ameaças atuam de forma silenciosa. Quanto menos os cibercriminosos forem notados, melhor para eles, pois continuaremos não tomando medidas protetivas.

Malwares são apenas uma das ameaças as quais estamos expostos. Talvez seja a mais comum. Existem inúmeras técnicas cibernéticas para a execução de crimes.

Que tal começar fazendo uma análise gratuita do seu computador?

Você pode verificar se há malware ou vulnerabilidades no seu dispositivo utilizando as ferramentas gratuitas da Kaspersky Lab disponíveis aqui.

 

Compartilhar este artigo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Posts Relacionados

Rolar para cima
Posso te ajudar?
AllEscort